29 de setembro de 2010

My self and I

As pessoas continuam a estranhar a minha frieza quando conto que o meu objectivo de vida não é casar, ter filhos e vê-los crescer... I'm not happy with that.

Toda a minha vida, desde que me conheço, que decidi que não iria trabalhar unicamente para "ir vivendo", para me dedicar a um dia ter um casamento "feliz?" e uma familia "saudável?". Não de todo, não quero passar uma vida inteira a trabalhar para pagar contas, para vestir filhos, para por comida na mesa, para não fazer as coisas que gosto, para não me divertir, para ter de ceder aos meus gostos em detrimento dos gostos dos outros e no fim da vida dizer: fui tão feliz e pensar (fui feliz? não fiz nem metade do que gostaria de ter feito, do que gostaria de ter visto, que frustração.)

Simplesmente tenho objectivos de vida diferentes: Quero conhecer o mundo, viajar, conhecer outras culturas, outras pessoas, aprender outras linguas, ter os meus momentos de solidão, de alegria absoluta, de tristeza, quero viver mil e uma experiências e sentir-me minimamente realizada. Acho que ninguém deve criar projectos em volta de uma família, entrar num casamento sem antes se perguntar: "estou minimamente realizada/o?", acho e sempre achei que as pessoas só serão felizes numa vida a dois, quando se sentem felizes enquanto pessoa única e é isso que eu pretendo. Ser feliz enquanto pessoa única e depois quem sabe, mais tarde, repartir a minha felicidade, a minha experiência, as minhas vivências com outras pessoas, with my family...

Até lá, serei unicamente eu! I want to be myself and help others be themselves!

I hope you understand me...

3 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Beautiful! Be yourself and the others... the others are the others.
For you, dear!
"The most exciting, challenging and significant relationship of all is the one you have with yourself. And if you can find someone to love the you you love, well, that's just fabulous."
Viva feliz!
Kiss*
Renata

anamoris disse...

Nos meus 43 anos já aprendi a não julgar ninguém e acho que todos nós devemos ter a Liberdade de fazer o que nos faz feliz. Fazes muito bem em escolher a tua vida só baseada nas tuas aspirações e nunca naquilo que o sistema te indica. FORÇA!!! Beijinhos

poeta_rural disse...

gostei deste tipo de pensamento em relação à vida. para algumas pessoas casar é fazer o que a sociedade assume como certo e, com isso, deixam de lado muitos dos sonhos e ambições que os deixavam felizes

© Lidia's World, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena